Empreendedorismo: Confira 6 dicas para crescer o seu negócio!

0
146

Microempreendedor é o dono de negócio com faturamento de até R$360 mil por ano. Quando legalizado, esse empresário pode atuar no formato ME (Microempresa) ou MEI (Microempreendedor Individual).

Nos últimos anos, presenciamos o crescimento do microempreendedor no Brasil e, com isso, vemos cada vez mais líderes de negócio procurando maneiras de expandir suas atuações. Se você se encaixa na definição acima, seja como MEI, ME ou autônomo não registrado, este conteúdo é para você!

Independentemente do seu objetivo, seja ele conquistar novos clientes, ampliar o faturamento ou aumentar o ticket médio, para todos os casos existem técnicas e estratégias que podem ser utilizadas para facilitar sua trajetória rumo ao sucesso.

Se você está atrás de dicas para fazer a sua empresa crescer ou continue a leitura e implemente novas ações.

1. Legalize sua empresa

Muitos donos de pequenos negócios têm medo de legalizar sua empresa, pois acreditam que deverão pagar mais impostos ou lidar com muita burocracia. Entretanto, a verdade é que ser um empreendedor legalizado nunca foi tão fácil.

Atualmente, você pode abrir uma MEI sem dificuldades e se beneficiar das novas regras que passaram a valer no início de 2018. A abertura da empresa é feita online, no Portal do Empreendedor. Depois, dependendo da sua cidade, você só precisará se dirigir à prefeitura para providenciar a emissão de notas fiscais.

Após tudo legalizado, você terá a oportunidade de emitir nota fiscal, podendo vender para empresas e clientes com maior poder aquisitivo — tudo isso pagando poucos impostos. Isso, sem dúvida, contribuirá para o crescimento do seu negócio.

2. Tenha um controle financeiro

Você sabe exatamente quanto seu negócio gastou e qual foi o faturamento nos últimos meses? Se você não tiver essas respostas disponíveis em uma planilha financeira, ficará muito difícil conquistar a expansão.

Baixe nossa planilha de Fluxo de Caixa e organize as contas do seu negócio!

É comum que empreendedores iniciantes passem longos períodos sem fazer um controle do dinheiro que entra e sai. No médio e longo prazo, isso é extremamente nocivo, pois prejudica as tomadas de decisão e coloca o negócio em risco de falência.

Para corrigir a situação, o primeiro passo é fazer o fluxo de caixa: um registro de todas as entradas (receitas) e saídas (despesas) de valores ao longo do mês. O objetivo é administrar o saldo disponível em caixa, garantindo que você não fique sem dinheiro para continuar operando.

3. Separe sua contas pessoal e empresarial

É bastante comum que, no início do negócio, todos os valores entrem e saiam da mesma conta. Esse cenário pode até funcionar nos primeiros meses, mas é imprescindível se organizar melhor caso você deseje ver seu empreendimento crescer.

Aproveite também para estabelecer um pró-labore, que é o salário do empreendedor. Esse será o valor mensal que você vai sacar do caixa da empresa para cobrir suas despesas pessoais. A partir daí, discipline-se para nunca retirar mais do que o estipulado.

4. Faça parcerias estratégicas

Parceiros estratégicos são pessoas ou empresas que podem trocar recomendações com o seu negócio: você indica novos clientes a eles, e vice-versa. Digamos que o seu trabalho seja produzir bolos. Nesse caso, é possível fazer parcerias com empresas de eventos, por exemplo.

Quanto mais indicações você troca com um parceiro estratégico, mais a relação entre vocês se fortalece, o que é vantajoso para ambos os lados. Além disso, abre-se a possibilidade de fechar contratos de longo prazo ou até mesmo trabalhar com comissões para quem recomenda clientes.

O grande desafio é dar o primeiro passo. Por isso, aqui vai uma dica: faça uma lista com 50 possíveis parceiros estratégicos e entre em contato com eles, um a um. De início, pode ser uma conversa por semana, até que, aos poucos, você tenha uma rotina diária de prospecção de parcerias.

5. Terceirize alguns serviços

Muitas vezes, o crescimento do microempreendedor individual é barrado pelo fato de ele fazer tudo sozinho. Contudo, não se engane: você pode e deve terceirizar alguns serviços para focar em atividades mais estratégicas.

Em um negócio de confeitaria, por exemplo, você pode delegar as tarefas de limpeza e contabilidade. Desde que não prejudique a qualidade do seu produto ou serviço, a terceirização pode ser uma grande aliada.

6. Aposte em serviços empresariais

Já falamos sobre a importância do microempreendedor individual se organizar, certo? Isso inclui contar com serviços empresariais estáveis e confiáveis, que evitem a perda de tempo ou de vendas por falhas na tecnologia e ajudem a reduzir custos.

Entre esses serviços estão a telefonia e a internet. Existem clientes que demandam mais atenção ou pedem para avisar quando uma encomenda está pronta. Nessas horas, faz diferença ter ligações ilimitadas para fixo e celular.

Um serviço de banda larga empresarial também é indispensável, ainda mais em uma época na qual todo mundo se comunica pelas redes sociais e aplicativos de mensagens. Dessa maneira, sua empresa estará sempre conectada, gerando mais oportunidades de negócios.

Gostou das nossas dicas? Agora é hora de colocar em prática os tópicos que você viu aqui. Sabemos que administrar um negócio não é fácil e exige muita resiliência; por isso, nosso intuito é transmitir os melhores conteúdos para acelerar o crescimento da sua empresa!

Fonte: oiconexus

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor, preencha seu nome auqi